O Lado B do Insider Trading: Relevância, Tempestividade e Influência do Cargo
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Capital Markets
Efficient Market Hyphotesis
Information asymmetry. Mercado de capitais
Hipótese de mercados eficientes
Assimetria de informação Mercado de capitais
Hipótese de mercados eficientes
Assimetria de informação

Como Citar

Pontes Girão, L. F. de A., Martins, O. S., & Paulo, E. (2015). O Lado B do Insider Trading: Relevância, Tempestividade e Influência do Cargo. RBGN - Revista Brasileira De Gestão De Negócios, 17(58), 1341–1356. https://doi.org/10.7819/rbgn.v17i58.2347

Resumo

Objetivo – Analisar o impacto das negociações dos insiders nas decisões
dos investimentos em ações.


Método – Aplicaram-se questionários online, obtendo-se 271 respostas
válidas. Nas análises foram utilizados alguns testes estatísticos paramétricos
(t e F Anova) e não paramétricos (Mann-Whitney e Kruskal-Wallis).


Fundamentação teórica – A pesquisa foi fundamentada na Teoria do
“Equilíbrio do Desequilíbrio” de Grossman e Stiglitz (1980), sobre a
impossibilidade de os preços nos mercados de capitais serem eficientes,
contudo à medida em que os agentes informados negociam seus ativos
munidos de informações privilegiadas, mais informativo se torna o
sistema de preços, visto que mais informações serão divulgadas indiretamente
por meio dos preços dos ativos.


Resultados – Os resultados da pesquisa apontaram que as negociações
dos insiders são relevantes para as decisões de investimentos dos demais
investidores e, ainda, que a tempestividade dessas informações também
exerce influência em tais decisões, sendo as negociações anormais aquelas
que têm maior influência nas decisões de investimentos em ativos
de risco pelos respondentes. Ratifica-se, então, a teoria de Grossman
e Stiglitz (1980), pois os resultados sugerem que as negociações dos
insiders adiciona informatividade ao sistema de preços das ações.


Contribuições – As principais contribuições do estudo estão relacionadas
com as evidências em favor do Paradoxo de Grossman e
Stiglitz (1980), dando uma base crítica a tão defasada Instrução CVM
358/2002 que regula o insider trading no Brasil. Os resultados reforçam
a importância da transparência das negociações dos insiders, para que
os participantes do mercado possam fiscalizar e controlar melhor as
suas operações, bem como utilizar alguma estratégia de investimento
baseada nos sinais dos insiders.

https://doi.org/10.7819/rbgn.v17i58.2347
PDF
PDF (English)