[1]
C. Gaio, T. Gonçalves, e A. Pereira, “Crise financeira e o reconhecimento das imparidades em ativos não financeiros”, Rev. Bras. Gest. Neg., vol. 23, nº 2, p. 370–387, jun. 2021.